terça-feira, 16 de junho de 2015

O CINECLUBE ZUMBIS APRESENTA: “AMOR BRUXO”, de Carlos Saura



ENTRADA GRATUITA

  *Após a exibição será feito o debate do filme.
* Baseado no balé composto por Manuel de Falla para o libreto de Gregorio Martínez Serra

Local: Anfiteatro da Unemat.

 Data e Horário: Sábado, 20/06, às 19:00h.

Título original: “Ele Amor Brujo”

Produção: 1986

Lançamento: 27 de agosto de 1986

País de origem: Espanha

Idioma do Áudio: Espanhol

Diretor: Carlos Saura

Elenco:

Cristina Hoyos
Antonio Gades

Laura del Sol
Juan Antonio Jiménez

Emma Penella
Enrique Ortega

Maria Campano

Gênero:
Drama / Musical

Tamanho do Arquivo: 780 MB

CLASSIFICAÇÃO: 16 anos

SINOPSE:
<<Candela e José foram prometidos por seus pais em casamento desde crianças. Quando adultos, eles se casam apaixonados e durante a festa de comemoração, José morre apunhalado numa briga. Carmelo é acusado da morte e preso. Candela passa a se martirizar e todas as noites vai ao local do crime em busca de visões do seu marido. Quando Carmelo sai da prisão, ele declara seu amor por Candela.>>



REFERÊNCIAS:

Tía Rosario: Lucía ainda ama José. Ela foi a amante dele na vida, deixe-a ser sua amante na morte também.
 
Carmelo: O que você quer dizer?

Tía Rosario: José por acaso não morreu defendendo a honra dela? Se ele morreu por ela, é justo que ela deveria lhe oferecer o seu amor.

Carmelo: O amor dela?... Você quer dizer a vida dela.

Tía Rosario: Meu filho… a felicidade de alguns sempre vem à custa dos outros. É assim que a vida é. Você deve falar com Lucía. Diga a ela para ir hoje à noite aonde José morreu, onde Candela encontrou a aparição. Fale com Candela. Arranje isso.

Carmelo: Não há outro jeito?

Tía Rosario: [ela balança a cabeça] Você ama Candela, não ama?... Fale com Lucía. CONVENÇA-A!

CRÍTICA:

<<Inicialmente, o cinema de Carlos Saura foi marcado pelas críticas à Espanha franquista, alegoricamente subentendidas em obras como Cria Cuervos, de 1975.

Com o fim do franquismo no final dos anos 70, o mestre aragonês voltou-se para a divulgação da dança e da música andaluza em sua célebre trilogia, coreografada e estrelada pelo grande dançarino Antonio Gades (falecido em 2004).

Amor Bruxo, o último filme da trilogia, sobressai-se também pelo trabalho da equipe técnica: direção de arte, desenho de produção, cenografia e, sobretudo, pela fotografia de Teo Escamilla. Destaque ainda para a bela música de Manuel de Falla (1876-1946). Por último, façamos justiça à presença de Cristina Hoyos, que atuou em toda trilogia. A seqüência em que ela e Gades dançam juntos ao som da Danza del Fuego Fátuo (música de Manuel de Falla com letra de Martinez Sierra) é simplesmente deslumbrante!>>

PREMIAÇÕES:

FANTASPORTO (1987)
Nomeado na categoria:

 “Melhor Filme de Fantasia Internacional”
- Carlos Saura


PRÊMIOS GOYA (1987)
Vencedor nas categorias:

 “Melhor Fotografia”
- Teodoro Escamilla

“Melhor Figurino”
Gerardo Vera

Nomeado na categoria:

“Melhor Edição”
Pedro del Rey

FESTIVAL MUNDIAL DE MONTREAL (1986):

Vencedor na categoria:

“Prêmio Especial do Júri”
Carlos Saura – Por sua trilogia (incluindo também Bodas de Sangue [1981] e Carmen [1983]), na ocasião da apresentação de “Amor Bruxo”.
                           
FONTES:


Cinedica:


Filmow:


IMDB:

Livraria Cultura:

Making Off:

Wikipedia, the free encyclopedia:

Duração:  100 minutos


TRAILER



---------------------------------------------------------------


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Recent Posts