sábado, 24 de setembro de 2016

Primavera Bissexual no Cineclube Zumbis: Sessão Zum-Bis apresenta - "Mãe Só Há Uma", de Anna Muylaert



NESTE SÁBADO, A PARTIR DAS 19 HORAS, NO AUDITÓRIO DO CEI DA UNEMAT, COM ENTRADA GRATUITA!

Descrição da sessão:

O Cineclube Zumbis iniciará as Sessões Zum-Bis, em correspondência ao Dia da Celebração / Visibilidade Bissexual, comemorado no dia 23 de Setembro. Para tal, será exibido o filme "Mãe Só Há Uma", da diretora brasileira Anna Muylaert, que ficou bastante reconhecida ano passado por seu longa, “Que Horas Ela Volta”. Neste mês, coletivos LGBTQ+, sobretudo os de São Paulo, impulsionam a chamada “Primavera Bissexual", uma série de projetos coligados a palestras e eventos que têm por objetivo divulgar material que registre as pautas da comunidade bissexual, assim como que abra um espaço para o diálogo com os grupos que também sofrem o apagamento dentro da comunidade – pansexuais, intersexuais e assexuais. 


Sinopse do Filme:
O jovem Pierre (Naomi Nero) vive apenas com sua mãe, Aracy (Daniela Nefussi) e sua irmã, Jaqueline (Lais Dias), e divide seu tempo entre a monotonia das aulas, os ensaios de sua banda e as festas mescladas com romances entre garotas e garotos. Porém, um dia, percebe estar sendo seguido por investigadores. Não leva muito tempo para ele descobrir o que há de “errado” com a família dele, e se ver intimado a fazer um teste de DNA para descobrir se “aquela” era realmente sua mãe. O adolescente, atônito, descobre que foi roubado da maternidade, e é lançado no seio de uma família completamente diferente daquela com a qual estava acostumado, tendo de lidar com o excesso de cuidado de sua “nova” mãe, Glória (Daniela Nefussi), um pai (Matheus Nachtergale) que não aceita e não consegue compreender o seu hábito de cross-dressing, e um irmão, Joca (Daniel Botelho), que tenta em vão dividir o mínimo de fraternidade com ele. Baseado numa história real, “Mãe Só Há Uma” é um drama familiar que retrata a vida conturbada de um adolescente de 16 anos, que vai viver com outra família ao descobrir que sua mãe o roubou na maternidade, sendo obrigado a deixar a família que o criou. Isso ocorre em um momento em que sua vida apresenta uma série de transformações, inclusive no âmbito da sexualidade.

Classificação indicativa: 16 anos. Duração: 82 min.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Recent Posts